historia-banner-v2

Desde 2013, a Casa da Fazenda do Morumbi funciona exclusivamente como um requintado espaço para realização de eventos sociais e corporativos.

Sob os cuidados especiais de uma equipe formada por profissionais do mercado especializados, à frente das áreas: comercial, marketing, administrativa e financeira, a Casa oferece uma excelente infraestrutura para os mais variados tipos de eventos e está pronta para ser o cenário ideal para realização do seu projeto. Refinado e rústico, charmoso e imponente – seja para o casamento dos seus sonhos ou para o melhor evento que sua empresa já organizou.

Duzentos anos de histórias para contar

Outrora conhecida entre os moradores do bairro do Morumbi como um belíssimo restaurante, há muitos anos a Casa faz parte da vida de ilustres paulistanos. Considerada uma verdadeira relíquia histórica, suas construções e jardins contam uma narrativa bicentenária de São Paulo. Em um terreno de mais de oito mil metros quadrados, a Casa é um elemento raro na paisagem urbana. Ela é capaz de, ao mesmo tempo, preservar e reinventar a atmosfera bucólica e o requinte do século XIX – isso em pleno coração do maior centro financeiro do país, a cosmopolita São Paulo.

Sua origem nos leva ao século XIX, quando o Brasil era ainda uma colônia, parte do Reino Unido de Portugal. O rei Dom João VI doou o terreno ao inglês John Maxwel Rudge, produtor de chá. Reza a lenda que o rei foi motivado por seu grande apreço pela bebida, visando instaurar a cultura na região do Morumbi – e a Casa acabou por se transformar na primeira fazenda de chá do país.

Posteriormente, foram plantadas ali também videiras para produção de vinho. O regente do Império, padre Diogo Antônio Feijó, foi o responsável pela construção, datada de 1813. Mais de um século depois, em 1920, o imóvel ruiu parcialmente. Oportunamente, quem planejou sua reconstrução foi um dos principais nomes da arquitetura modernista no Brasil, Gregori Warchavchik. Na década de 1990, foi novamente restaurada e, em 1999, reinaugurada.

Em 2005, o CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) promoveu o tombamento da Casa e da Capela, em um gesto de reconhecimento de sua importância para a história e para a cultura da cidade. A Capela, por exemplo, foi restaurada conforme sua construção original, em taipas de pilão. Em seus jardins, são encontradas espécies nativas, oferecendo aos olhos do espectador o mesmo verde que se via há mais de duzentos anos atrás.

Suas belíssimas paisagens serviram às obras de diversos cineastas. Entre elas, estão “Sinhá Moça”, filme de 1953 de Tom Payne, “A Moreninha” e “Beto Rockfeller”, de Oliver Perroy e “A Nova Primavera”, de Franco Zefirelli.

Venha você também tornar a Casa da Fazenda do Morumbi o cenário perfeito para o seu evento!